Senta que lá vem resenha: Livro Meu Vício

segunda-feira, março 13, 2017

Livro: Meu vício
Autora: Kell Teixeira
Páginas: 387
Editora: Bezz
Tema: Romance, realidade.


Sinopse: Elena Tyner é uma garota comum de dezenove anos que cursa psicologia. Devido a uma criação tradicional, assim como a sociedade em sua maioria, ela possui preceitos e preconceitos contra usuários de drogas, passando até ter repúdio pelos mesmos. Mas tudo muda quando ela faz uma entrevista com um usuário, se envolve e passa a ver o outro lado da história. 

Nesse drama é relatado de forma clara e espontânea a amarga experiência que é conviver, amar, e presenciar uma pessoa entregar sua vida para as drogas... Um caminho obscuro e muitas vezes sem volta... 
Falar sobre dependência química é muito forte, muito atual e de suma importância. Mostrar todo sofrimento do dependente e de todos ao redor de forma tão realista e interessante, faz com que a gente vivencie o sofrimento junto com Maycon e Elena. E sinta o amor surgindo no meio das trevas, da dúvida. Um amor puro e sincero, porém não aceito.









O livro conta a história de Elena Tyner uma aluna de psicologia de 19 anos que precisa entregar um trabalho sobre drogas ilícitas e para complicar a sua vida o professor lhe pede que faça uma entrevista com um viciado em drogas e eis que ela conhece Maycon Sebastian, um viciado em cocaína em um ponto de ônibus na qual ele responde as questões prontamente e sai sem maiores explicações. O que ela não esperava era que desse encontro sua vida tomaria um outro rumo, um rumo a qual ela não estava preparada para seguir.

Tenho que começar dizendo que achei o início um pouco corrido, toda essa coisa de eles se apaixonarem de maneira rápida me deixou um pouco com o pé atrás e demorei um pouco pra pegar o ritmo da leitura, mas eis que sou surpreendida com Maycon usando cocaína e não querendo largar o vício, pois ele se sente bem sendo um viciado.

Todo o livro me surpreendeu porque imaginei que aconteceria coisas completamente diferentes. Achei que a autora fosse fantasiar, ou melhor, mascarar um pouco esse lado das drogas e mostrar que o amor pode tudo mas ela não o fez e isso me deixou de queixo caído com a veracidade dos fatos que ela apresentou.




"Afinal, desde que entrei na faculdade, passo tanto tempo sozinha que já era para ter me acostumado, mas esse é o problema, você se acostuma, aí conhece alguém, deixa esse alguém se aproximar e... Acaba se esquecendo de como é estar sozinha."




De um lado temos Elena, que apesar de amar muito Maycon, não aceita dividi-lo com a cocaína e depois de conhecermos um pouco desse amor arrebatador, (disse que não gostei da forma como se apaixonaram rápido demais e não da forma como esse amor foi desenvolvido, que por sinal, foi muito lindo) Elena lhe pede para largar o vício e ele diz que não é fácil mas que vai tentar a todo custo e assim que a faculdade entra em período de férias, ele aceita de bom grado ser internado em uma clínica de reabilitação, mesmo não recebendo muito apoio da namorada ao longo desse período de tratamento.

Do outro lado temos Maycon que ama Elena mas não tanto a ponto de largar a cocaína e assim vemos uma mocinha sofrer horrores por causa de um vício asqueroso que acaba com a vida das pessoas. Maycon é um cara autêntico, ele é o típico bad boy, o terror dos pais das menininhas, que usa drogas e não se importa nem um pouco com isso, mas vai além disso. Maycon tem uma personalidade forte, é um poço de sarcasmo e ironia mas que mesmo ele sendo todo errado (e ele reconhece isso várias vezes) não tem como não nos apegarmos a ele.

Posso dizer que amei e odiei todos os personagens ao mesmo tempo devido as suas atitudes no decorrer da história. Amei Maycon pelo que ele representava para Elena e o odiei por ser um fraco. Amei Elena por dar força para o rapaz ir para a reabilitação e a odiei porque no momento em que ele mais precisou dela, ela simplesmente surtou. A única que eu realmente odiei com todas as minhas forças foi a safada da April.




"-- Algumas pessoas não suportam a verdade.
-- Algumas verdades têm que ficar só para nós."




Mas a história não para por aí, temos outros personagens muito marcantes nessa trama como os pais de Elena, os pais de Maycon, Jayde e Keven. (Também os amei e os odiei na mesma proporção)

O livro mostra que não existem pessoas perfeitas, revela ao leitor o lado obscuro da droga e o que ela faz com o usuário, com sua família e as pessoas que o amam e se importam com ele.




"Sinto êxtase, prazer, me sinto viva, É inexplicável, sinto euforia, sensação de que posso tudo e posso mais que todos, me sinto livre, e assim como ele, sei que preciso de mais, cada vez uma dose mais forte, não nas veias, mas no coração."




Veja bem, a sociedade pinta para nós que somente pessoas de cabeça fraca usam drogas, mas não acredito que isso seja inteiramente verdade. Maycon presenciou a separação dos pais devido a uma traição do pai. Ele viu a mãe sofrendo e chorar por noites a fio. Viu o pai construindo uma outra família, tendo uma outra filha e seguindo um rumo diferente. A verdade lhe foi imposta da maneira mais difícil e cruel. Não estou justificando os erros dele, mas acho que no momento da separação, ao invés de os pais ficarem correndo atrás da guarda do menino deveriam dar amor e atenção pois esse é um momento muito difícil para uma criança. Imagina seu pai chegar do trabalho todo dia e embora cansado ele brinca com o filho até este ficar satisfeito e liberar para que o pai possa tomar banho e ir dormir para iniciar sua rotina novamente no dia seguinte e do nada isso lhe é arrancado dele? Só quem já passou por isso sabe o quanto é doloroso. A falta de diálogo em casa pode muitas das vezes ser prejudicial de modo que os pais tiveram que se unir novamente para poder ajudar o filho a sair dessa.

E como se não bastasse toda essa pressão psicológica em cima dele, os pais de Elena não fazem gosto dessa relação. Eu sinceramente não os culpo e acho que no lugar deles teria o mesmo posicionamento de tentar impedir que minha filha tivesse um relacionamento com um viciado em cocaína.




"O amor é raro, tão raro, que quando o encontramos, não seremos mais os mesmos se o deixarmos escapar, e não vou te deixar escapar."




Mas calma que o drama ainda não acabou, além dos pais de Maycon serem assim e dos pais de Elena não darem apoio, ainda temos Jayde, Keven e April.

Como eu disse antes, minha relação com Jayde foi de amor e ódio, até agora ainda não sei qual sentimento prevaleceu, mas vou falar um pouco dela. Ela mora com Maycon e são super amigos, como se fossem irmãos, mas mesmo estando ao lado de Maycon pra tudo, não perde a oportunidade de infernizar nossa donzela em perigo. Em certos momentos, vemos Jayde um pouco mais acessível. Ela, apesar de usar maconha, dá força ao amigo para reabilitação e até chega a orientar Elena sobre essa reabilitação e essa por sua vez, ao invés de guardar as palavras de Jayde, frequentar uma reunião de apoio aos familiares de dependentes químicos, joga tudo para o alto e passa a viver para sua dor interna. Nesse momento foi o que eu mais senti raiva dela.

Já Keven, divide o quarto do campus com Elena, são melhores amigos mas ele sempre tentou esconder que sente algo a mais por ela. Ao contrário de Jayde ciumenta que só, Keven tenta ao máximo respeitar a vontade de Elena em permanecer com Maycon mas não perde a oportunidade de dizer que ele não vai lhe fazer feliz. E como Jayde se preocupa com Maycon, Keven se preocupa com Elena e para mim é até aceitável algumas atitudes desses dois em alguns momentos.




"Não é pecado sentir medo. Como ser corajoso se andamos no escuro e não conseguimos ver um passo à nossa frente? Meu coração acelera quando penso nisso, mas nesse momento, eu me lembro que tenho você, algo me fortalece e já não me importo mais por não enxergar o caminho, não me importo com o amanhã. Porque eu só me importo com você... Estar perto de você... Eu estava morto antes de te conhecer, ainda que por algum motivo, estivesse no mundo dos vivos. Só que eu te conheci e tudo passou a fazer sentido, passei a me sentir vivo. E o único passo que quero dar agora, é um passo para mais perto de você. Sei que eu já te amava antes de te conhecer e vou continuar te amando, não por toda a vida, mas por toda a eternidade. Porque a vida é irrelevante para o amor... Me perdoe por hoje Elena, me perdoe pelo amanhã. Me perdoe sempre, porque o seu perdão é tudo que eu vou precisar daqui para frente... Do seu perdão e do seu amor..."




Mas aí você chegou até aqui e está pensando, "nossa Camila, tem triângulo amoroso e eu não gosto muito de triângulos".  Um recadinho para você: Não, não tem triângulo amoroso. O fato de Keven sentir algo por Elena não atrapalha em nada no seu namoro com Maycon, ela não se sente tentada a largar o viciado e ficar com o cara certinho e também tem alguns momentos em que ela mesmo finge que não escuta Keven. O que vemos muito é Maycon com ciúmes de Keven, mas apenas isso. Para Elena o único responsável por sua felicidade é o próprio Maycon. É claro que existem algumas pessoas para atrapalhar esse relacionamento, April é uma delas, mas nada que venha sequer incitar um triângulo amoroso. Maycon é muito decidido no que ele quer e isso me fez amá-lo incondicionalmente.

April foi a mais safada, nojenta, irritante e vaca! Eu nem vou perder meu tempo falando sobre ela porque ela realmente me irritou o tempo todo. Então vamos mudar de assunto.




Gostei muito do modo como a autora me surpreendeu ao relatar esta história, que na maioria das vezes é narrada pelo ponto de vista de Elena, mas que em alguns momentos Maycon também narra, e tem um capítulo pelo ponto de vista de Keven e outro de Jayde. Os capítulos em si, são curtos, o que estimula ainda mais a leitura e nos envolve de uma maneira impressionante. A leitura, embora complexa e forte, é bem viciante, marcante e envolvente. Cheguei a chorar em alguns momentos e em outros eu não me aguentava de sorrisos.

É uma história com um tema um tanto polêmico, que muitos não tem coragem de falar e mostra claramente como é um viciado em drogas, como é o período de abstinência e a recaída. Relata como eles ficam fora de si, agressivos, paranoicos, os danos a saúde e além disso tudo, revela o estado da família e entes queridos, em como são afetados por essas ações.




"Nesse momento, sinto seu amor me dizendo que podemos lutar contra tudo, que não sou apenas um soldado nessa luta, somos dois com uma vontade imensa de vencer. Vontade imensa de encontrar nosso caminho de plena felicidade, nosso para sempre, nosso enfim juntos. O lugar onde ninguém, onde nem mesmo a maldita cocaína, poderá nos separar..."




Vemos perfeitamente os pais de Maycon e a própria Elena perdendo a fé na recuperação dele, em como ele vira um lixo humano, como ele se refere a si mesmo, e a sua trajetória até o fundo do poço. É um livro intenso e que nos faz refletir sobre a vida que essas pessoas levam. 

Eu amei quando Maycon tira da fraqueza a sua força e parte para um confronto de frente contra a vontade de usar drogas. Como ele pensa no filho que Elena está esperando e como ele percebe que se continuar nesse caminho vai acabar perdendo o filho também.

Eu amei o livro porque não vi nada de fantasioso nele, apesar do início ter sido um pouco difícil para pegar o ritmo da leitura, todo o enredo vale muito a pena ler. Conhecemos as lutas para sair desse mundo obscuro e que se o próprio viciado não tiver vontade de sair, não adianta que ele vai continuar no mesmo caminho.

Adorei a forma como a autora aborda os fatos e fiquei bem curiosa para ler outros livros dela. Essa obra é digna de ser um Best-Seller.




"Um mês não resolve... No mínimo, uns quatros a seis, não vai ser fácil, na verdade, ele vai te odiar quanto tiver que encarar a abstinência, ele vai ficar louco, depressivo, insultá-la e tentar te afastar de todas as formas, mas esse não vai ser o Maycon, vai ser a falta da droga o fazendo agir assim... Vai ser bem doloroso, mas quando você achar que não suporta mais, quando achar que não dá pra ficar pior, aí que vai ficar pior. Mas não pode abandoná-lo, não pode desistir, porque se fizer, ele volta pior. E lembe-se que quando estiver a ponto de desistir, é aí que começa a aparecer a luz no fim do túnel. Vai ter que aprender a ignorar todas as vezes que ele te insultar, porque isso vai acontecer, e muito. Tem que ser forte, forte mesmo. Não se fingir como você faz... O problema dele, é que Maycon viu seu porto seguro ruir quando os pais separaram, ele sempre desejou ter uma família de volta. A chave é essa, mostre a ele que pode ter isso com você. Mostre o quanto o ama e que existe outro caminho além desse. Assim ele vai querer sair também, porque não adianta se ele não quiser... Acha que pode fazer isso? Acha que pode ser forte por vocês dois?"




Quando terminei o livro fiquei pensando em quantos Maycon Sebastian existem por aí, acabando com suas vidas e quantas Elena Tyner estão na luta para resgatar o namorado. Quantas Emily e quantos Isaac existem e vêem o filho definhar por um vício sujo. A história, embora tenha nomes reais para os personagens pode muito bem relatar a realidade de muitas pessoas que tem parentes ou conhecidos no mundo das drogas.

É uma luta diária, na qual o vício vai querer falar mais alto, o próprio corpo vai implorar por uma última dose e parece que todos, exatamente todos, estão contra o usuário. Mas mesmo sendo difícil não é impossível e quem tem força de vontade e luta com garra consegue chegar aonde quer e foi exatamente isso que Maycon fez.


Eu recomendo muito essa leitura para aqueles que acham que suas vidas não são perfeitas. Saibam que mesmo tendo problemas, existem pessoas em situações piores que as suas e isso não é motivo para desistir. Pelo contrário, temos que seguir em frente porque um dia iremos vencer.










You Might Also Like

57 comentários

  1. Esse tema parece ser abordado de forma bem real, isso impacta e deixa a leitura bem interessante, mas pela resenha senti que não teria o final que todos gostam, feliz rsrs, uma pena, amo finais felizes, acredito que eles nos dão esperança e isso é extremamente importante, mas gostei bastante da dica e da resenha, você indicas ótimos livros! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Anna, mas vou soltar um pequeno spoiler ok? Só pra você! Tem um final feliz, eu também amo finais felizes e acho que me sentiria muito mal se não tivesse um nessa história. Além de ter um final feliz também tem continuação. Descobri ontem que é uma duologia rs. Esse livro é sensacional, eu super recomendo a leitura. Obrigada pelo carinho novamente <3'

      Excluir
  2. Oii.
    Uau... Que resenha linda.
    Já fiquei encantada pelo livro, deve ser realmente maravilhoso.
    Gostos de livros que me fazem refletir... Isso é muito bom.
    Dica anotada!
    Beijos,
    Keth.
    Blog: www.parbataibooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é realmente sensacional, eu fiquei apaixonada pela escrita e pela forma como a autora abordou esse tema. Super indico!

      beijinhos!

      Excluir
  3. Ai gente que resenha foi essa???
    Apaixonada Cami e com muita vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia Mah, você vai amar! O livro é fantástico!!

      Excluir
  4. Eu não conhecia esse livro, mas ele parece ser muito bom! Adorei sua resenha. Super bem escrita e completa.

    Beijos!
    www.crescendoemflor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Si! Leia o livro, é fantástico, fabuloso e traz muitas reflexões para nós.

      beijinhos!

      Excluir
  5. Adorei a sua resenha! Nunca tinha ouvido falar em uma história como essas, o que me deixou bastante interessada na leitura. Parabéns pelo texto!
    www.brincandodeolivia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia o livro é incrível, tem uma história forte e muito bonita! Vai amar!

      beijinhos!

      Excluir
  6. Adorei a resenha, não sei se ia gostar da paixão repentina tbm.
    Mas adoro livros que quebram preconceitos. Melhor coisa. bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, esse desbancou o preconceito sobre as drogas na minha opinião. Acredito que o início não seja de todo mal, mas o fim justifica tudo!

      Excluir
  7. Nossa, esse tema é bem polêmico e tenso! Já li alguns livros que retraram esse universo, sempre termino as leituras mexidas... parabens pela resenha, cami! Beijo

    Blog: http://literarte.blog.br
    Insta: instagram.com/blogliterarte
    Twitter: twitter.com/yasmimsaks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Yas, é uma história que mexe com a gente de uma forma impressionante!
      Obrigada!

      beijinhos!

      Excluir
  8. Hey!

    Adorei a resenha, não conhecia a editora nem o livro, adoro livros que tratam de temas assim, vou dar uma olhada mais tarde.

    Sucesso.
    http://fonteliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim Amanda, o livro é fantástico, vale a pena ser lido e ele ajuda muito a entender a rotina de um usuário de drogas.

      beijinhos!

      Excluir
  9. Oi. Eu já vi resenha desse livro no blog da Beatriz. Me responda, no livro a autora usa o termo usuário ou viciado? Sobre o se apaixonar de maneira rápida, não vejo problema, pois isso é comum e não dá para ficar rotulado relacionamento, como se tivesse se houvesse um único jeito de se apaixonar. O que me preocupa e absolutamente nenhuma resenha mostra, é a forma como a temática ‘drogas’ é tratada no livro. As resenhas geralmente estão norteadas por uma visão adolescente como se pudesse definir como alguém se apaixona, a velocidade, o tempo e Cronos. Gostaria muito de uma resenha madura do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, bem sobre o termo ela usa viciado, e as vezes viciado de merda, como muitas vezes o pai da Elena trata o Maycon. Entendo o seu ponto de vista mas se você leu a resenha toda vai perceber que falei como a autora abordou o tema das drogas. Eu disse que achei que ela fosse fantasiar ou que por um milagre do amor ele seria salvo mas não é bem isso que acontece. Maycon sofre pelas drogas, pela abstinência, pela quantidade em excesso, até mais ou menos o final do livro, quando ele percebe que chegou ao fundo do poço. Não é dando spoiler mas o que a Kell mostra é a dura realidade de mutias pessoas e Maycon foi um vencedor porque apesar dos pesares ele conseguiu se reerguer, agora temos que ver por quanto tempo ele vai aguentar pois descobri que o livro é uma duologia, mas falei sim na minha resenha sobre a temática das drogas e não foi uma visão adolescente na minha opinião. Eu diria que tentei ser o máximo realista possível.

      Excluir
  10. Oi, tudo bem? Eu já vi esse livro por aí e confesso que só lembrava do nome e da capa. Gostei muito da sua resenha, mas a história em si não me atraiu muito. Não sou nada fã de romances e muito menos aqueles romances criados com muita rapidez. Não me convencem.
    Gostei das lições que você tirou e suas reflexões, mas acredito que não seja uma boa leitura para a hora :/

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tudo bem e você?
      Entendo perfeitamente, isso foi uma coisa que me incomodou um pouco sabe? Sobre se apaixonar logo a primeira vista perdidamente me deixou um pouco com o pé atrás e foi o que me dificultou de pegar o ritmo da leitura, mas quando ela começou a abordar sobre as drogas e o impacto que elas tinham na vida de Maycon, de seus pais e consequentemente na de Elena e seus pais também eu meio que despertei na leitura, foi algo instantâneo e durou até o final do livro. Fiquei surpresa com a clareza da história e como a autora abordou esse tema tão polêmico e delicado. Mas entendo que não seja o momento certo para esse tipo de leitura, quem sabe mais pra frente? :)

      Excluir
  11. Oi, gostei da premissa do livro e gostei mais ainda de saber que a autora não tem medo de chocar o leitor, nada de fantasiar ou dizer que o amor muda tudo e todos. Gostei do seu entendimento em relação a história e de suas reflexões. O que não curti muito foi de saber que a história acontece de forma um pouco corrida.

    http://www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aconteceu um pouco corrida somente no início porque o foco mesmo era na dependência de Maycon com relação a cocaína e isso a autora soube dar muita ênfase.E sim, ela não tem medo de chocar o leitor e me deixou muito surpresa como ela abordou esse tema. Foi uma experiência totalmente diferente e que me trouxe boas reflexões sobre o contexto em geral. Acho que não deve levar em consideração ao fato de o relacionamento deles acontecer de maneira rápida mas sim o fato das drogas e como Maycon em algumas ocasiões parece amar mais a cocaína do que a Elena.

      beijinhos!

      Excluir
  12. Aiiii, gente!
    Fiquei curiosa agora, kkkk.
    É uma triste realidade, realmente. Tantas pessoas estão presas nesse mundo das drogas e tantas outras sofrendo por elas. Pelo o que você descreveu, a autora trabalhou muito bem o tema e de maneira realista. Fiquei envolvida com o livro só ao ler a resenha, imagina lendo o próprio livro.
    Mais um que vai pra minha lista.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mi você precisa ler, ele é muito realista, ela não fantasiou a questão das drogas em momento algum! Ela traz para o leitor uma realidade que ninguém está acostumado a ler ou vivenciar e pra mim, isso que foi o diferencial dela. Eu gostei do fato de sair da zona de conforto e também como ela conduziu tudo de maneira muito clara! Foi uma experiência nova, porém muito satisfatória e sensacional! Acho que você deve dar uma chance.

      beijinhos!

      Excluir
  13. olá
    eu quase comprei o livro mais sempre fico com um pé atras sabe vai que eu não gosto, o tema abordado e a pura realidade que muitos vivem né talvez eu de uma chance pra ele. dica anotada

    Bjjj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê uma chance sim, apesar de ter um tema forte a história é linda! Não tem como não se emocionar e se não gostar eu aceito que você doe o livro para mim kkk
      beijinhos!

      Excluir
  14. putz! Deve ser forte e tocante essa história. Todos sabem como é difícil a vida de quem tem vícios ou de quem convive com. Quem trabalha de perto na recuperação de dependentes deve ter muitas histórias de dor e superação a serem contadas.
    Só preciso estar bem bem da cabeça pra encarar a leitura.
    Bjsss
    Luana
    www.umasegundaopiniao.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Luana, é uma história profunda, tocante e forte. Vai mexer com o seu psicológico mas ao mesmo tempo é uma linda história em que um pecador luta pela sua redenção. Merece muito ser lida! Espero que goste.

      beijinhos!

      Excluir
  15. Amo essa história, adorei sua resenha. Já vi q Maycon ganhou mais uma fã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! É eu tentei resistir a Maycon mas não consegui por muito tempo kk
      beijinhos!

      Excluir
  16. Oiii Camila, tudo bem?
    Infelizmente dessa vez querida a obra não despertou tanto meu interesse quanto eu gostaria, mas achei essa capa maravilhosa e a edição está um luxo! Vou indicar para algumas amigas.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgs, eu entendo! Obrigada mesmo assim pela opinião!

      beijinhos!

      Excluir
  17. Fiquei muito feliz em ver que não houve uma romantização diante do uso de drogas. Acho horrível quando isso acontece., ou similares como romantizar bandidos. Já me ganhou por isso. Vou anotar a dica.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É nesse caso não foi romantizado em nada. Espero que consiga ler e que goste da história. Eu amei o livro!

      beijinhos!

      Excluir
  18. Olá!
    Adorei a sinopse e suas considerações. Não conheço a obra e nem a escrita da Kell, mas os temas abordados parecem ter dado o tom para a leitura seguir em ponto alto.
    Vou anotar a dica pra ler em breve!
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E foi exatamente assim que aconteceu! O livro é sensacional, merece ser lido!

      beijinhos!

      Excluir
  19. Li esse livro tem algum tempo e gostei da trama, algumas atitudes dos personagens me irritaram bastante mas no geral a obra me agradou muito e estou bem curiosa para ler o segundo volume. Ah, também odiei a April com todas as minhas forças.

    ResponderExcluir
  20. Oie, tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas o tema abordado me chamou a atenção. Gosto de livros que retratam a verdade, a realidade. E este como você mesma enfatizou não mostra apenas uma visão de fora de uma pessoa viciada, mostra o que ela sente assim como o que as pessoas que a rodeiam sente. Pelo jeito é um livro bem tocante.
    Amei a sua resenha, você soube se expressar muito bem, transmitiu a sua emoção, por isso é um livro que adicionei a minha lista para ler (que está infinita rsrssr).

    Bjux ;)
    Entrelinhas

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bem?
    Não conhecia esse livro ainda, mas fiquei muito curiosa para ler.
    É, com certeza, um tema polêmico e fico feliz que a autora não tenha optado pelo caminho mais fácil de fantasiar a situação e tenha sido realista ao falar de um assunto tão sério.
    Como você, eu acho que também ficaria incomodada com o modo como os protagonistas se apaixonam. Não gosto muito desses romances instantâneos. Mas que bom que isso não chega a atrapalhar e que você acabou gostando da leitura.
    Adorei a dica e já vou deixar anotado para ler em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Oi!
    Gostei muito da premissa do livro mas me desanimei ao saber que o romance surge rápido demais e confesso que também já peguei uma certa birra com a mocinha mesmo sem ter lido o livro. Contudo o tema polêmico e controverso me instiga e quero muito saber como a autora tratou o assunto em sua história, por isso vou dar uma chance ao livro qualquer dia desses.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Olá!

    Não conhecia o livro, mas não me chamou a atenção. Parabéns pela resenha bem escrita!

    ResponderExcluir
  24. Oi Camila, sua linda, tudo bem?
    Acabei de ficar surpresa também, achei bem diferente a autora colocar um personagem que assume gostar do vício e gostar mais dele do que da namorada. Esse assunto é tão grave e tão grande, são tantas as pessoas no mundo inteiro que estão se destruindo e destruindo suas famílias nesse momento e não vejo mais a mídia falar sobre isso, não vejo mais as escolas discutirem esse assunto e não vejo mais os livros denunciarem. Por isso dou parabéns a autora por abrir espaço em seu trabalho e falar de forma tão franca. Dica mais do que anotada, não vejo a hora de ler!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. UAU!!!! que história!
    Vício é uma coisa bem destruidora mesmo. O livro parece ser bem intenso, mesmo com esse inicio corrido que você alega ter.
    O assunto é muito delicado e eu fiquei bem curiosa em saber como foi abordado pelo autor.
    Foi pra minha lista de próximas leituras com certeza.
    Obrigado pela dica e parabéns pela resenha.

    Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  26. Sou uma amante de romances, mas ultimamente ando ando afastado do gênero. Porém, vejo que esse seria o livro ideal para eu voltar para o romance, primeiro porque gosto muito de livros que mostre coisas da realidade, que mostre que nem tudo é um mar de rosas, que deixe um pouco a fantasia de lado e mostre para os leitores que na vida existem dificuldades.Gosto de choque de realidade, e gosto de refletir sobre essas coisas. Gostei muito da sua resenha, eu ainda não conhecia o livro, mas achei um bom livro.
    Beijos
    Livrofilia | Fan page Livrofilia

    ResponderExcluir
  27. Olá! Que sofre de um algum vício realmente tem uma luta diária. E conta uma história que te algum vicio, pode ser uma história forte e emociona-te. Muitas vezes as pessoas pense que vicio é uma coisa boba e a pessoa que sofre não para por que não quer, mas não é bem assim. Anotei a dica. Beijos'

    ResponderExcluir
  28. Oi Camila.
    Ótima resenha.
    A historia é bem interessante e a temática é pesada mas também é muito atual e importante de ser conversado. Nao sei se leria no momento mas em outra oportunidade gostaria de ler.

    Beijos
    Aventurando-se Nos Livros

    ResponderExcluir
  29. Oi, Camila!
    Cheguei muito perto de adquirir esse livro esse mês, mas acabei não fazendo-o porque não achei que seria uma trama que fosse me agradar de fato, por maiores que fossem os elogios, mas essa coisa do romance que começou um pouco rápido me irrita. Ainda assim, começo a pensar em dar uma nova chance ao livro caso surja uma nova oportunidade de adquiri-lo, pois saber que a autora retratou o vício de forma simplesmente real e nada romantizada é animador mesmo, ainda que seja uma leitura bem mais pesada por causa disso e não do tipo a se fazer em qualquer momento, é preciso uma vibe boa para fazer a leitura, mas deve ser mesmo uma história intensa e impactante. Valeu o incentivo e a resenha!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥
    ♥ DandoUmadeEscritora.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  30. Não gosto de livros com esse tema do vício em drogas, sinceramente, já vi o suficiente sobre isso na vida real para ter vontade de ler uma história que me faça reviver algumas coisas que não tenho vontade alguma de relembrar. Sei que você disse que não está justificando o erro do cara, mas acho que não tem nada a ver a pessoa se viciar por causa de problemas familiares, na minha família tivemos situações de separação horrorosas até piores que a que você descreveu e ninguém se entregou às drogas por causa disso... Acredito que cada pessoa tem sempre uma escolha, se escolher não experimentar nada não vai se viciar, e fim. Agora depois de começar largar o vício é realmente muito complicado, não há apoio que resolva, a pessoa tem que querer de verdade. Tenho conhecidos que já se internaram mais de uma vez mas retomaram o vício. Achei bem legal a autora não romantizar a situação.

    ResponderExcluir
  31. Olá,
    Já fiz algumas leituras sobre o vício do alcoolismo mas nada que envolvesse outras drogas como no caso aqui a cocaína.
    Fiquei bem intrigada para conferir toda a trama e saber se o amor de Maycon por Elena será mais forte que seu vício ou não e o que Elena teve que passar por causa dessa situação.
    Adorei sua resenha e já adicionei o livro na lista de leituras.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  32. Olá, tudo bem? Nossa nunca li um livro assim, e ele parece ser bem cru com relação ao temo abordado. Gosto de livros assim que não mascaram a realidade, e nos traz coisas realistas. Não conhecia autora, nem a obra, mas com certeza vai para os meus desejados. Que resenha riquíssima em detalhes, adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Olá, tudo bom?
    Nunca tinha ouvido falar desse livro e confesso que a premissa não chamou muito minha atenção. Entretanto, gostei de saber que a autora não banaliza o tema e o trata com veracidade. É legal ver que a autora não quer passar essa mensagem de que "o amor cura tudo" e que os personagens passam por uma longa jornada pelo vício do mocinho badboy. Um outro ponto que curti saber é que não tem triângulos amorosos. Não curto nada quando eles surgem nas histórias.
    Enfim! Passo a sugestão por hora mas vou deixar anotado aqui. Quem sabe um dia eu não leia?
    Amei a resenha! Super bem escrita e detalhada!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  34. Oi, tudo bem?
    A temática do livro é bem interessante, estou com ele no kindle mas não sei quando vou conseguir ler.
    Amo e odeio esse misto de sentimentos pelos personagens hahaha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  35. Oiii
    Amei a resenha e as suas fotos, comprei esse livro na amazon esses dias e estou louca para ler, mas tenho um monte de leituras na frete.
    Bjs Mary

    ResponderExcluir
  36. Olá Camila, tudo bem?
    Adoro esses livros que abordam esses temas tão importantes para a nossa sociedade como é o caso no vicio em drogas ilícitas. E o fato da autora mostrar a realidade e não fantasiar ou romantizar esse fato é simplesmente maravilhoso. Com certeza leria esse livro, porém não gosto dessa ideia de amor rápido demais, afinal na vida real não é assim.
    Beijos.
    Meu Livro Fantástico | Facebook

    ResponderExcluir
  37. Olá,
    Amei as fotos e a resenha, confesso que não gostei da capa mas quando li sua opinião vi que deve ser um bom livro.

    ResponderExcluir
  38. Como estudante de psicologia sou bem chata, então já imagine como eu passo longe dessa obra, acho que ele rotula e reforçar estereótipos bem negativos, não li pra ter certeza, mas lendo resenhas por ai acho que a autora pecou em certas escolhas na hora de formular e escrever o livro e seus personagens..

    ResponderExcluir
  39. Vc percebe a força de um livro quando a resenha é longa e detalhada... eu amei, fiquei emocionada mesmo! As citações ficaram com ótimo timming com o texto, maravilhoso! Parabéns a vc a autora!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir